Conquista D Oeste - 1985 a 2013

O município de Conquista D`Oeste foi criado a partir da Lei Estadual nº. 7.233, de 28 de dezembro de 1999, de autoria do deputado José Riva, com território desmembrado do município de Pontes e Lacerda. O núcleo que deu origem ao atual município desenvolveu-se numa região distante 100 km do município-mãe, Pontes e Lacerda, daí a dificuldade dos moradores da localidade e também, da própria prefeitura em manter em dia as necessidades essenciais de um povoado, tais como conservação de estradas e destinação de verbas para os setores de saúde e educação. Este é um problema que o Estado de Mato Grosso sempre enfrentou, dado sua extensa área territorial de quase um milhão de quilômetros quadrados. No período da emancipação política e administrativa a própria prefeitura de Pontes e Lacerda se empenhou no desmembramento do seu antigo distrito, já que em documento de 13 de outubro de 1999, o prefeito da cidade demonstrou seu apoio a importância da realização de uma consulta plebiscitária. O mesmo procedimento veio do vereador e presidente da Câmara Municipal de Pontes e Lacerda, Francisco Martins de Souza Filho. Nesta mesma época o empresário Walmir Guse doou terreno ao futuro município (para construção dos prédios da Câmara e da Prefeitura Municipal). Na primeira eleição municipal da localidade, em 3 de outubro de 2000, foi escolhido para comandar o executivo o Sr. Walmir Guse, um benemérito do lugar. O nome da cidade, Conquista D`Oeste, representa o ideal de um povo que conquistou o espaço que ocupa, com muito esforço e dedicação ao futuro do lugar. O termo D`Oeste localiza geograficamente o ponto em que está assentado o território municipal. Em 1985 existia a fazenda conquista nessa região onde o Sr. Eliúde Alves da Silva (popularmente conhecido como Leu), era funcionário e morava com sua esposa e seus filhos. Que sempre estava atento com o que acontecia em sua volta, inclusive da grande extensão de terra devoluta e sem uso para produção agrícola. Ao perceber a fertilidade do solo e a não exploração da terra, despertou o interesse em explorá-la já que os donos residiam em São Paulo e pouco dava importância para essa finalidade, passando muito tempo às vezes sem vir visitá-las. Sendo assim, o Léu destinou-se até a serra da borda, localizada em Pontes e Lacerda e convidou alguns homens a ocuparem e desbravarem aquela área, onde em seguida o Sr. Antonio Severino juntamente com alguns colegas tiveram a mesma atitude, pois foram os dois homens que na qual comandavam a ocupação. Com dois pontos de referencia localizada as margens direitas da BR 174 a turma do Leu e do lado esquerdo a turma de Antonio Severino. A partir daí começou-se a definição dos lotes e os barracos. Neste mesmo ano de 1985, quando parecia tranqüilo o Senhor Deusdete de Arruda juntamente com Luiz Baciga que se destinavam para visitar suas famílias na serra da borda, conforme costumavam ficar em média 15 dias na ocupação e 15 dias em casa, logo foram surpreendidos. No momento que iam embarcar no ônibus por uma Toyota do exército com alguns homens que deram voz de prisão, levando-os até o ponto de apoio, onde alguns colegas já se encontravam detidos. Os policiais o detiveram Luiz Baciga na Toyota para mostrar onde estavam os barracos dos demais companheiros, seguindo na estrada que hoje liga centro de Conquista a Serra. Onde foi humilhado e torturado até chegar ao barraco, pois a Toyota ficou escondida no mato enquanto eles caminhavam lentamente mata dentro por uma picada até chegar ao encontro esperado do senhor Antonio Severino que veio ser detido juntamente com outros homens. Neste mesmo dia a polícia saiu para prender o Leu, mas encontrou apenas a esposa, filhos e uma senhora grávida com duas crianças no barraco. Com isso os policiais ficaram aguardando a chegada do então responsável pela ocupação, que foi surpreendido e preso juntamente com todos que ali estavam presentes. No decorrer desses acontecimentos o senhor Floilaz da Silva Murtinho, um dos ocupantes, que por sorte encontrava-se na cidade mãe (Pontes e Lacerda), conhecido como vaiz, ficou sabendo do que estava ocorrendo. Antes que os policiais chegassem até ele, rapidamente buscou apoio do Deputado Estadual José Lacerda para liberação dos companheiros conforme consta nos depoimentos, conseguindo apoio total e finalmente à liberdade dos colegas. Com exceção do Senhor Eliúde Alves da Silva, que ficou preso por mais alguns dias, sendo necessário à contratação do advogado Dr. Sinomar Resende Silva, que diante do seu trabalho conseguiu a liberdade do mesmo. Com isso o José Lacerda apoiou a ocupação, garantindo que ninguém viria para expulsa-los da terra, assegurando a permanência no local e o desenvolvimento da agricultura. Tendo como fonte principal de economia o cultivo da banana. Sendo assim, continuaram apenas comentários que o fazendeiro iria tomar as terras de volta, ocasionando sempre a dúvida do direito adquirido pela terra. Mas graças a Deus e o apoio de José Lacerda e a resistência dos desbravadores tudo ocorreu conforme o esperado. A partir daí a noticia surge conforme o passar do tempo despertando interesse em muitas pessoas que passavam por esta região e que transmitia a notícia por onde passavam aumentando cada vez mais o interesse das pessoas que sonhavam com uma terra produtiva, de subsistência e acima de tudo moradia própria. Uma das pessoas popularmente conhecida que na qual queremos destacar pela função desenvolvida nesta localidade é o Sr. Odélio de Freitas, que tinha intenções de comprar terras no município de Nova Lacerda, mas pretendeu comprar terras em Conquista D Oeste devido verificar a fertilidade do solo, quando retornou a Goiás para buscar sua família e finalmente passar a residir nesta comunidade. Como na ocupação tudo parecia tranqüilo então as famílias já começam a ampliar seus barracos e finalmente a construírem seus lares definitivos, ocasionando a necessidade do desenvolvimento da educação. Em 1987 a senhora Dorvalina Nunes começou a lecionar em um barraco próximo a sua casa, enquanto a senhora Maria José da Silva, filha de Zé Lagoa foi lecionar também próximo à casa de seus pais pouco tempo depois, oferecendo o ensino aprendizagem para que todos os moradores pudessem freqüentar a escola, devido os barracos serem distantes uns dos outros. No ano de 1988 os moradores resolveram a criar a associação para reivindicar seus direitos em busca de apoio político e melhoria de vida. Neste mesmo ano em uma conversa próximo ao antigo posto telefônico, pelos senhores Onório Braga e Odélio de Freitas, surgiu à idéia de formar uma vila, conforme veio ser a pauta principal da reunião seguinte, em que todos concordaram e discutiu sobre o nome a ser denominado a vila, surgindo algumas idéias, mas a que veio prevalecer é a que se denominou o atual município Conquista D` Oeste. Idéia segundo os depoimentos, Conquista devido ter sido uma ocupação sem conflitos ocasionados em mortes e etc., e D`Oeste, devido está localizado na Região Centro Oeste. A partir daí houve a necessidade de buscar apoio político para a realização da demarcação da área e abertura das ruas e avenidas. Quando conseguiram o apoio de Dauri Mariano que era Prefeito de Pontes e Lacerda e do Governador do Estado Carlos Bezerra, que vieram cumprir com seus deveres, deixando a disposição do senhor Odélio maquinários e combustível, além de contratar um engenheiro conhecido como Dr. Ricardo para fazer a planta da vila, além de acompanhar toda demarcação. A partir daí surge à vila e começa a construção das casas. Segundo depoimentos, a primeira casa a ser construída foi do senhor Levino, que residia em Lucialva, chegando no dia 22 de Dezembro de 1988, uma obra rara na comunidade, pois é pré fabricada, sendo desmontada em Lucialva e montada onde sua família reside até hoje. Assim inicia-se o desenvolvimento da vila. Através da doação de alguns fundadores sem bens lucrativos, como o Senhor Chico Sardinha, doando a área para construção da igreja, ganhando como homenagem de seu nome Francisco, o padroeiro da cidade São Francisco de Assis. Um outro doador foi o senhor Froilaz da Silva Murtinho, conhecido como Vaz, enquanto os demais recebiam certa porcentagem pela venda dos terrenos. Com novas construções e o aumento populacional foi aumentando, quando chegou até esta vila em 1991 Walmir Guse, que residia na cidade de Jauru - MT, acabava de comprar a serraria do senhor Toninho tendo como Razão Social incomasca. A partir daí Walmir Guse , candidatou-se pela primeira vez para pleitear uma cadeira na câmara de vereadores por Pontes e Lacerda, cidade a qual a comunidade pertencia, sendo eleito e assumindo a cadeira no de 1992. Passando a defender os interesses de Conquista D`Oeste. 1992 começa a transformação de Conquista D’Oeste, como o Distrito acabara de eleger um vereador, ficaria mais fácil conseguir melhorias na sua infraestrutura, tanto urbana como rural. Em 1996 Walmir Guse se reelege novamente vereador por Conquista D’Oeste, ocupando também a Presidência daquela casa de leis de 1993 a 1994, e trazendo cada vez mais desenvolvimento para Conquista D’Oeste. Foi no ano de 1998 eu começa ai então o tão sonhado desejo da população, de ver Conquista D’Oeste se tornar Município, foi então com o empenho de Walmir Guse, com o Projeto de Lei de autoria do Deputado Estadual José Riva e com o apoio de então Assessor Jurídico da Assembleia Legislativa de Mato Grosso e Ex Deputado Estadual José Lacerda que se tornou realidade essa conquista. Já aprovado município pela assembleia legislativo de Mato Grosso, no ano de 2000, realiza então a primeira eleição oficial para prefeito e vereadores, na disputa pela prefeitura, Walmir Guse pelo PFL (Partido da Frente Liberal) e o Senhor Odélio de Freitas pelo PMDB (Partido do Movimento Democrático Brasileiro), Odélio de Freitas obteve 567 votos e Walmir Guse 922 votos, tornado assim o Primeiro Prefeito eleito de Conquista D’Oeste juntamente com a Vice Prefeita Dorvalina Nunes, e foram eleitos também os primeiros vereadores; Francisco Gomes de Oliveira, Froilaz da Silva Murtinho, Hermes José Medeiros, Vilmar Domiciano Miranda, Juvenil de Paula Coelho, Maria Izabel da Silva Gonçalves, Nelson José Fernandes de Souza, Jânio Henrique Pedretti e Orlando Pereira Gomes. No ano de 2003 Walmir Guse se reeleger novamente prefeito como candidato único dessa vez seu Vice Prefeito foi Francisco Gomes de Oliveira (Tiquinho), vencendo seu mandato em 31 de dezembro de 2008. Na eleição de 2008 disputam então a vaga de Prefeito, Tiquinho PP (Partido Progressista) e Jair Podavin PT (Partido dos Trabalhadores), Jair Podavin se elege com uma diferença de apenas 10 (dez) votos tem como seu Vice Gilmar Mendes, cumprindo de seu mandato em 31 de dezembro de 2012. Já na eleição de 2012 novamente Walmir Guse se candidata para enfrentar o então prefeito Jair Podavin e seu vice Nelson José Fernades, Walmir Guse se elege prefeito novamente desse vez seu vice é a Professora Maria Lúcia.